Portimão

Município de Portimão já pagou 30 mil euros aos lesados do incêndio rural de 17 de julho

Autarquia criou fundo emergencial de 50 mil euros para auxiliar agricultores afetados e reforçou o contrato com a ASPAFLOBAL para garantir a aquisição de equipamentos ou bens de utilização exclusiva para a atividade agroflorestal, não cobertos por outros apoios.

A Câmara de Portimão já iniciou os pagamentos aos lesados do fogo florestal ao abrigo do fundo de emergência no valor de 50 mil euros, criado justamente para esse fim, ou seja, destinado a apoiar os munícipes carenciados e que foram afetados pelo incêndio rural de 17 de julho passado, que fustigou a freguesia da Mexilhoeira Grande até ao dia seguinte.

Recorde-se que o sinistro, que ceifou mais de 1600ha de mato, pasto, eucaliptos e pinheiros nos sítios do Gordeiro e da Pereira, destruiu estruturas que permitiam o às pessoas afetadas o acesso a condições básicas e necessárias para o usufruto de condições habitacionais condignas, entre as quais o fornecimento de energia elétrica e o acesso à água, uma vez que o mesmo se faz através de furos artesianos e barragens.

As labaredas atingiram particularmente uma população de agricultores de parcos recursos, cuja atividade tem especial importância e impacto na prevenção dos incêndios rurais, sendo objetivo desta medida ressarcir os prejuízos sofridos e não cobertos por outros apoios e incentivar a retoma dessa agricultura.

Em consequência, a Junta de Freguesia da Mexilhoeira Grande procedeu a um levantamento preliminar e provisório dos munícipes atingidos, assim como dos prejuízos e dos custos das reparações, tendo estimado a verba de 50.000 euros. Deste valor, já foram pagos 30.000 euros.

Categories: Portimão