Quarteira

CASE STUDY | Quarteira não faz menos que o melhor do mundo

Quarteira é um verdadeiro case study (caso de estudo) em termos de talentos. Enormes talentos em todas as áreas da Cultura e inúmeros campeões nas mais diversas modalidades desportivas. O campo da música deu mostras desse talento na noite deste domingo, 14 de novembro, na apresentação do longa duração À Moda Quarteirense, que junta mais de 30 artistas. A base musical surpreende pelos elevados padrões de qualidade e as vozes destacam-se entre as melhores. No entanto, o grande destaque vai para a surpreendente criatividade das letras, plenas de referências a nomes e locais da cidade que povoam o imaginário das suas gentes, com uma mestria desconcertante que provocou arrepios e galvanizou o público presente.

A apresentação terminou em apoteose com todos os artistas e músicos em palco para a ovação final, prometendo uma apresentação do projeto aberta a toda a população quando as condições assim o permitirem..

Uma iniciativa que contou com a presença do presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Telmo Pionto, a presidente da Assembleia de Freguesia de Quarteira, Lígia Brito e o vereador da Câmara Municipal de Loulé, Carlos do Carmo, entre outros.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Mais sobre o projeto:

Dino D’Santiago, Sacik Brow, Mike Ghost, Holly, Virgul, Yuri da Cunha, Alicia Rosa, Lady N, Subtil, Perigo Público, Fragas e Isa de Brito são alguns dos talentos presentes neste longa-duração.

O movimento “Sou Quarteira” lançou, a 29 de Outubro, nas plataformas digitais, o álbum “À Moda Quarteirense”, com direção artística de Dino D’Santiago, Mike Ghost e Holly que junta mais de 30 artistas, entre eles Virgul, Yuri da Cunha, Sacik Brow, Biex, Baby Creezy, Alicia Rosa, Lady N, Subtil, Perigo Público, Fragas, Isa de Brito e muitos mais. 
“À Moda Quarteirense” é a mais recente iniciativa da Associação Beyond, fundadora do movimento “Sou Quarteira”, criada por Naomi Guerreiro, Inês Oliveira, Dino D’Santiago e Miguel Jacinto. O longa-duração conta com 16 faixas e reúne todos estes artistas que têm em comum serem oriundos ou com fortes ligações à cidade de Quarteira. Nos casos de Virgul e Yuri da Cunha, a identificação com o disco aconteceu desde o primeiro momento, com Dino D’Santiago a mostrar-lhes o tema e ambos a fazerem questão de darem a voz e a sonoridade angolana que os seus produtores procuravam.  

“Este projeto é muito mais do que um disco, é acima de tudo um trabalho que reflete a busca intensiva da sonoridade da cidade, que para além de homenagear os talentos locais, tem ainda como objetivo dar novos palcos, infraestruturas e ferramentas para que as futuras gerações possam dar continuidade aos seus sonhos.” refere Naomi Guerreiro, da Associação Beyond, fundadora do movimento “Sou Quarteira”. 

Com este movimento, há muitos jovens promissores artistas que, através da música e da cultura, acabam por sair de situações sociais e económicas menos favoráveis, profissionalizando-se. Os mais conceituados artistas dão a mão aos ainda não conhecidos do grande público e a cidade de Quarteira torna-se num exemplo para a importância da cultura no empoderamento social, cultural e económico. 

Para celebrar a edição do álbum, ao início da noite deste domingo, 14 de novembro, no Parque Gago Coutinho, em Quarteira, foi oferecido um concerto acústico que juntou os intervenientes do disco, naquela que foi a primeira mostra pública deste trabalho. Os bilhetes foram oferecidos pela Câmara Municipal de Loulé.

Este primeiro momento ao vivo de apresentação do disco é “o que pode ser considerado como um ensaio aberto, será uma experiência única e totalmente diferente do disco. As canções que o compõem estarão no seu formato mais cru, não existirá máquinas, será tudo orgânico. Será uma viagem de celebração de nós para nós. Com a mensagem bem clara de que estamos aqui ‘despidos’ de preconceitos para partilhar o nosso orgulho em forma de canção, um manifesto”, anteviu Sacik Brow.

Organizado pela Associação Beyond em parceria com a Câmara Municipal de Loulé, o Sou Quarteira procura a longo termo ter um impacto positivo na cidade tanto a nível social, cultural como económico. Pretende-se assim desencadear uma vaga de iniciativas, de confiança e de orgulho na cidade. Só através da diversificação destas ferramentas e experiências disponibilizadas será possível promover a dinâmica de colaboração e profissionalização do talento local. O movimento já deu voz a vários projetos: o Festival Sou Quarteira, a exposição e livro “Heróis”, o documentário #Sou365Dias, e o Mural “À Moda Quarteirense” que dá nome ao disco. Este movimento apoiado pela Câmara Municipal de Loulé, que foi fundamental para a viabilização do mesmo, acreditando na emancipação da arte como ferramenta sociocultural desde o início.

Categories: Quarteira