Saúde

União Internacional para o Controlo do Cancro luta “Por cuidados mais justos”

A União Internacional para o Controlo do Cancro (UICC) escolheu para 2022 o tema “Por cuidados mais justos” para assinalar o Dia Mundial do Cancro (4 de fevereiro). A campanha internacional projetada a três anos tem como objetivo reforçar que todos merecem ter acesso aos cuidados oncológicos e surge numa altura em que, de acordo com as previsões da Organização Europeia do Cancro (OEC), devido à pandemia da Covid-19, mais de 1 milhão de cancros poderão ter ficado por diagnosticar na Europa. 

De acordo com dados também da OEC, na Europa, 1 em cada 5 doentes ainda não está a receber o tratamento de quimioterapia ou a intervenção cirúrgica de que necessita. A acrescentar a este facto, durante a pandemia, 100 milhões de testes de rastreio foram cancelados na Europa, o que levou a um atraso nos diagnósticos de cancro devido à Covid-19.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO) foi realizado um estudo em 61 países, que envolveu 20 mil doentes e permitiu concluir que o tipo de confinamento teve impactos diferentes nos doentes oncológicos: “um em cada sete doentes oncológicos não foram submetidos à cirurgia que estaria indicada durante o confinamento total, o que representa 15% dos doentes”.

A campanha lançada este ano pela UICC “Por cuidados mais justos” vai ainda mais longe que o contexto pandémico e reforça que todos os doentes oncológicos merecem ter acesso a cuidados de saúde, independentemente do seu rendimento, educação, etnia ou formação – fatores que podem definir de forma injusta o nível de cuidados prestados no que diz respeito ao tratamento do cancro.

Durante o ano de 2020, estima-se que 10 milhões de pessoas tenham morrido de cancro e que 70% destas mortes tenham ocorrido em países de baixo a médio rendimento.

É neste contexto que em 2022 o primeiro passo foi reconhecer o problema e procurar compreender as desigualdades que existem no tratamento do cancro em todo o mundo, no próximo ano em 2023, o caminho é juntar vozes e forças dos que querem combater este flagelo e, em 2024, desafiar quem está no poder a assumir o compromisso de encontrar soluções que tornem os acessos aos cuidados oncológicos mais equitativos em todas as partes do globo.

“Este é um compromisso no qual a Bayer se revê, na totalidade, e muitos têm sido os esforços que temos feito para que o acesso aos cuidados de saúde seja garantido de forma igual. A nível nacional começámos o ano com mais um passo importante na área da oncologia, contribuindo para o acesso dos doentes à inovação de um tratamento para o combate ao cancro da próstata, permitindo a estes doentes viver mais e melhor”, afirma Isabel Fonseca Santos, Medical Director da Bayer Portugal.

Saiba mais informação sobre esta campanha aqui: https://www.worldcancerday.org/

Categorias:Saúde