AGENDA

Hipertensão Pulmonar: Campanha nacional visa melhorar a qualidade de vida de doentes e cuidadores

  • Dia Mundial da Hipertensão Pulmonar, 5 maio
  • O tempo médio de diagnóstico após os primeiros sintomas, é de dois anos

No mês em que se assinala o Dia Mundial da Hipertensão Pulmonar, celebrado a 5 de maio, a Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar (APHP) vai promover uma campanha de sensibilização para esta patologia, com duas vertentes: educativa – dirigida a doentes, familiares e cuidadores, e desportiva – destinada à população geral.

A vertente educativa, composta por várias sessões de formação, pretende elucidar a comunidade de HP – doentes, familiares e cuidadores – sobre a patologia e promover o acesso a informação relevante para melhorar a qualidade de vida das pessoas diagnosticadas com esta doença rara, incapacitante e de difícil diagnóstico. As sessões vão decorrer no auditório do Hospital Garcia de Orta, no dia 14 de maio, contando com a presença de especialistas desta área.

Por sua vez, a vertente desportiva, insere-se na campanha internacional #GetBreathlessForPHdinamizada por todas as Associações de doentes na Europa. Em Portugal, esta iniciativa convidará toda a população a sentir-se como um doente de HP se sente num dia normal: sem fôlego! Através da promoção de atividade física, o evento que pretende aproximar os cidadãos comuns da realidade destes doentes, vai decorrer em Leiria, no dia 28 de maio, e as inscrições serão gratuitas.

Maria João Canas Saraiva, presidente da APHP, refere que “o tempo médio de diagnóstico de HP após os primeiros sintomas, é de 2 anos. É nosso dever enquanto Associação que luta por melhorar a qualidade de vida destes doentes, combater essa realidade e alertar para a importância de diagnosticar precocemente a patologia. Isso passa pela promoção de campanhas de sensibilização como a que vamos implementar este ano”.

Em Portugal, existem cera de 300 pessoas diagnosticadas com HP, sendo que os especialistas acreditam que este número seja superior ao registado. O subdiagnóstico leva a que muitos doentes levem anos a ser identificados e a iniciar o tratamento atempadamente. Apesar de ser uma doença incurável, o diagnóstico precoce pode garantir o controlo da doença e permitir o alívio dos sintomas através de tratamentos eficazes.

Sobre a HP

Difícil de diagnosticar, a HP é uma doença rara, progressiva e altamente incapacitante. Causada por uma variedade de fatores, os sintomas mais comuns são a falta de oxigénio e dificuldade em respirar em situações normais do dia-a-dia, que não requerem muito esforço, como fazer a cama, lavar os dentes ou pentear-se.  O desconforto torácico e algum inchaço nas pernas são outros sinais de alerta.

Caracterizada pela pressão elevada (hipertensão) nos vasos que transportam o sangue do coração para os pulmões com o propósito de serem oxigenados. Com este quadro clínico, o lado direito do coração necessita de trabalhar em esforço para conseguir bombear o sangue através das artérias pulmonares.

O atraso no diagnóstico pode levar o doente à classe IV, sendo esta a mais grave e que incapacita qualquer atividade física mínima.

Categorias:AGENDA, Saúde