Algarve

Está concluída a 1.ª etapa da Expedição Costa do Algarve em canoa polinésia

Expedição Costa do Algarve (Cabo de São Vicente – Rio Guadiana, Portugal)

Travessia 1: Taho’e (Rio Arade – Lagoa) – Aukai (Ria Formosa – Olhão): 22.05.2022 (Dia Internacional da Biodiversidade)

O ‘Biodiversity Day 2022’, que ocorreu no dia 22 de maio de 2022, teve como tema a “construção de um futuro partilhado para toda a vida”. Foi com esse espírito que os remadores Diogo ‘Pitoco’, Caio Mathias e Anderson ‘Peixe’ saíram para partilhar 80km de remadas, passando por algumas das regiões algarvias de maior biodiversidade natural. Uma expedição audaciosa que contou com uma grande preparação e planeamento prévio.

Os aventureiros optaram por começar a sua expedição pelo trecho central da costa algarvia, trecho este que conecta por mar as duas bases de canoa Polinésia estabelecidas na região sul de Portugal, as escolas Taho’e Canoe Club e Aukai Canoe Club. Com o tema ‘Conexão entre Bases’, procuraram, através da experiência de uma longa travessia, fortalecer os vínculos de união que ligam as duas escolas.

Segundo Anderson ‘Peixe’, “a primeira travessia da expedição Costa do Algarve correspondeu às nossas expectativas, tendo proporcionado um pouco de tudo. A saída ocorreu no Kaiak Clube Os Castores do Arade, localizado no Rio Arade, o maior rio algarvio, onde já fomos brindados com uma prévia das belezas da região algarvia que iriam surgir perante nós ao longo do percurso. Ao percorrer o Rio Arade até à sua foz, avistámos muitas aves e peixes à ‘flor d’água’, além de uma vegetação de borda incrível.

Neste primeiro trecho da expedição, encaixámos a remada e depressa chegámos à foz do Arade, onde nos deparámos com as duas primeiras lindas praias, Angrinha e Praia Grande, separadas pelo lindo e imponente Castelo de São João do Arade. Com essa bela vista, ficámos cheios de fôlego e alegria e virámos para leste, onde fomos agraciados com as belas falésias, pequenas baías e grutas incríveis do Barlavento algarvio.

A nossa primeira paragem não poderia ser outra, a Gruta de Benagil. Sítio mágico! Ficámos por lá mais tempo do que havíamos programado. Mas não poderia ser diferente… Apesar de termos remado apenas 12km, em Benagil recarregámos as baterias com aquela linda vista e voltámos a remar como se tivéssemos iniciando a expedição naquele momento.

Que lugar incrível, de energia surreal. Ali ficámos por um bom tempo conectados com aquele lugar”, reforça Anderson Peixe’, que prossegue com o relato da aventura:

Seguimos para o próximo ponto e após 10km chegámos ao Yellow Submarine’, uma pedra em formato de submarino no meio do mar. Ali, tivemos um momento de muita conectividade entre remadores e canoa, algo fundamental para uma navegação tranquila.

Sempre com o sorriso no rosto, a linda vista da costa algarvia fascinava-nos a cada metro e assim remámos por mais 20km, sem sequer sentir a distância. Parámos na Praia de São Rafael, com águas límpidas e cristalinas, aproveitámos para descansar, hidratar e alimentar-nos, pois teríamos pela frente um trecho bem desafiador.

Começámos a ver ao longe as primeiras ondulações, que indicavam condições excelentes para um downwind até Faro. Surfámos várias ondulações até Faro. Estávamos em sintonia, harmonia, unidos, divertindo-nos muito e com uma canoa Polinésia fantástica! A canoa Polinésia, modelo V3 da Génesis, permitiu-nos desfrutar desses momentos com muita segurança e conforto.

Após 50km de travessia muito tranquilos, onde as condições ambientais atuaram sempre a nosso favor, a situação mudou. Um forte vento passou a atingir-nos pelo través, bagunçou o mar e as ondas e algumas grandes passaram a golpear-nos, vindas de diferentes direções.

É nestes momentos que percebemos que sozinhos não somos ninguém e que dificilmente seríamos capazes de sair em segurança daquela situação. Dependemos e precisamos de confiar 100% nas pessoas que estão connosco na canoa e estas pessoas, por sua vez, também dependem e precisam confiar 100% que os outros estão a dar o seu melhor para sairmos todos em segurança daquele sítio. Esse tipo de situação e experiência, sem dúvida que cria laços e vínculos muito fortes e estabelece uma conexão profunda que só o mar e a sua força são capazes de fazer.

Foi no local conhecido como Barreta que precisámos de remar forte. A aventura parecia ter saído das páginas da grande obra literária Vinte Mil Léguas Submarinas, do famoso escritor Júlio Verne!”, prossegue Anderson ‘Peixe’, dando continuidade à sua narrativa:

Estávamos quase em casa! Chegámos à linda Ria Formosa mas também estávamos bastante cansados, após 30km a remar em condições desfavoráveis e bastante difíceis. Conversámos os três, agradecemos-nos uns aos outros pela irmandade e parceria e decidimos finalizar a travessia. Mesmo após 73km a remar, completámos os últimos 7km com muita alegria e gargalhadas na canoa.

A nossa chegada a Olhão foi muito calorosa e emocionante. A Família Aukai estava presente no Cais de Olhão para nos receber e fizeram uma linda festa à nossa chegada. Ficamos de fato emocionados e muito gratos.

A primeira etapa da nossa expedição está concluída. Agora, é descansar e retomar a vida quotidiana mas com aquele sentimento bom de que já não somos mais os mesmos de quando saímos de Lagoa, rumo a Olhão.

O que vem pela frente? Essa é uma pergunta que, a partir de agora, começa a navegar na mente dos canoístas portugueses, remadores brasileiros e amantes da cultura Polinésia, que acompanharam o pioneirismo de três expedicionários brasileiros nos mares do litoral sul de Portugal.

Nós temos a resposta! A segunda etapa da Expedição Costa do Algarve já tem data marcada! Dia 12 de junho, domingo, navegaremos mais uma vez na nossa V3 Génesis por todo o Sotavento Algarvio. Sairemos do Porto de Recreio de Olhão com destino à foz do Rio Guadiana, fronteira com a Espanha. Serão mais 60km a remar que faremos mais uma vez com sorriso no rosto e com a certeza de que o litoral algarvio é de fato uma maravilha mundial.

De beleza e biodiversidade ímpar, a costa do Algarve precisa de ser protegida, preservada e contemplada pelo maior número de pessoas. Por isso, se ainda não conhece as belezas do Algarve, inclua-a no seu roteiro de viagem. Tenho a certeza de que se irá surpreender”, conclui Anderson ‘Peixe’.

Categorias:Algarve