Algarve

ALGARVE | Enorme procura de alojamentos locais para o verão 2023, apesar do aumento dos preços e da inflação

A empresa de alojamentos locais Bookiply revela dados promissores para o mercado de viagens

  • Enorme procura para o Algarve em 2023, como mostram os dados;
  • As casas de férias tornaram-se mais caras desde a pandemia e com a inflação;
  • Os turistas estrangeiros regressam novamente;
  • Com o novo visto para os nómadas digitais, a tendência do workation vai aumentar.

Há oito anos os irmãos alemães Johannes e Michael Siebers fundaram a empresa Holidu, após umas férias de surf no Baleal, em Peniche. Hoje em dia, a Holidu também oferece soluções para anfitriões através da Bookiply, uma das empresas com maior crescimento na Europa no ramo de alojamentos locais e que, recentemente, recebeu 100 milhões de euros numa ronda de financiamento (www.holidu.pt/magazine/holidu-ronda-de-financiamento-series-e).

A Bookiply (www.bookiply.pt) conta com dois escritórios em Portugal, Lisboa e Faro, para proporcionar um suporte próximo e pessoal aos seus clientes com uma equipa de especialistas locais. Neste mês de dezembro, a empresa publica alguns dados do ano de 2022 e fornece uma perspectiva para a próxima estação.

Enorme procura para o Algarve, em 2023, como mostram os dados

Mesmo antes da pandemia, o mercado de Alojamento Local era um dos mercados de maior crescimento dentro da indústria de viagens. E após a primeira quarentena em 2020, a procura de casas e apartamentos de férias explodiu. Esta tendência é também evidente em Portugal. Guido Brunelli, Country Lead Portugal na Bookiply, explica: “Embora os hóspedes tenham reservado com menos antecedência nos dois primeiros anos do Covid-19, as pessoas estão agora a reservar novamente com antecedência”. Cerca de metade das reservas deste ano tiveram lugar entre 3 e 6 meses  antes do início da viagem. Ainda, 15% das estadias durante a época alta foram reservadas com mais de meio ano de antecedência.

Das 10 cidades mais procuradas em Portugal com uma data de check-in em 2023, sete estão no Algarve. Lisboa, Porto e Funchal completam a lista. Em conjunto, representam mais de 65% do total das pesquisas de destinos dentro do país. “Apesar da procura ser elevada, muitos anfitriões ainda não tornaram as suas propriedades reserváveis para o próximo ano. Menos de 70% das casas de férias no Algarve não podem ser reservadas actualmente para o Verão de 2023”, afirma Guido Brunelli.

As casas de férias tornaram-se mais caras desde a pandemia, tal como, com a inflação

Com a elevada procura, alguns anfitriões aumentaram os preços dos seus alojamentos. Em julho de 2022, uma casa de férias em Portugal custava em média 144 euros por noite. No Algarve, os preços eram, ainda, mais elevados (191 euros). Já na Madeira (111 euros) e em outras regiões da costa de Portugal (125 euros), no entanto, estão abaixo da média. Os preços aumentaram 19% num espaço de dois anos, tanto a inflação como os custos mais elevados da energia farão com que os preços, provavelmente, aumentem. “Alguns anfitriões já aumentaram moderadamente os seus preços. Estes têm de calcular as suas receitas e despesas de acordo com o seu negócio. No entanto, os aumentos de preços são frequentemente muito inferiores ao que outras indústrias praticam, de forma a manter o negócio a funcionar”, diz Guido Brunelli da Bookiply.

Os turistas estrangeiros regressam ao nosso país

A percentagem de visitantes internacionais está de volta aos níveis pré-pandémicos. “Cerca de metade das reservas em 2022 foram feitas por turistas estrangeiros, como foi o caso em 2019. No primeiro ano da pandemia, em 2020, a quota foi de apenas 25%”, disse Brunelli. Em 2022 vieram de Espanha, do Reino Unido, Holanda e Alemanha. As reservas anteriores para 2023 foram feitas principalmente pelos britânicos, holandeses e alemães.

Com o novo visto para os nómadas digitais, a tendência do workation vai aumentar

Passar férias numa casa alugada já estava na moda antes da pandemia. “Contudo, o grupo alvo tornou-se muito mais amplo desde então. Para além das famílias, cada vez mais viajantes individuais, casais e jovens adultos adquiriram um gosto por estas propriedades”, explica Guido Brunelli da Bookiply.

Portugal tornou-se um Meca nómada digital ao longo dos últimos dois anos. Esta tendência deve continuar com o novo visto para viajantes nómadas a ser lançado pelo governo. A grande vantagem é que cerca de 85% das casas de férias, em Portugal, estão equipadas com WiFi. “Os anfitriões reagiram a esta nova procura e oferecem ligações WiFi de alta velocidade e estáveis nas suas casas de férias”, aponta Guido Brunelli.

Além disso, 40% das propriedades oferecem, aos hóspedes, a sua própria piscina. 35% dos alojamentos locais são adaptados e seguros para as crianças. Em 18% dos alojamentos, os animais de estimação podem ser trazidos consigo. Para a maioria das propriedades, os turistas procuram especificamente propriedades com piscina, seguidas por “animais de estimação permitidos” e “internet”.

Johannes Siebers, CEO e fundador da Holidu, comenta: “Portugal é um dos países mais visitados e um mercado imensamente importante para toda a indústria de viagens. É também um dos mais belos destinos de viagem para mim, pessoalmente. É um lugar-chave, uma vez que fundámos a nossa empresa após uma viagem aqui, e foi sem dúvida o dia mais importante que alguma vez tivemos. Estamos felizes por servir o turismo em Portugal com a nossa forte presença na Europa, especialmente na Alemanha, e por trazer ainda mais turistas para Portugal, mesmo na época baixa”.

É aqui que entra a Bookiply. Esta filial apoia os anfitriões para que estes possam tirar o máximo partido da sua experiência de mercado. A equipa ajuda na gestão da sua propriedade, incluindo streaming em todos os principais portais de reservas, sincronização de calendários e gestão centralizada de pagamentos. A equipa oferece, também, um serviço gratuito de texto e fotografia. “Os viajantes valorizam descrições detalhadas e imagens significativas. Fotos profissionais e apelativas aumentam as reservas em 500%”, nota o perito em viagens Guido Brunelli.  

Metodologia

Os dados para este estudo foram recolhidos das bases de dados da Holidu e Bookiply em 16/11/2022. Para a análise dos preços, foram selecionadas casas e apartamentos de férias no período de 1 a 8 de julho de 2022. O preço médio por noite foi determinado pelo valor médio e não pela mediana de dados fiáveis, e os valores anómalos estatísticos não foram considerados. O website Holidu tem mais de 110 milhões de visitantes anualmente e reúne mais de 15 milhões de ofertas de mais de 2.000 websites de viagens. A Bookiply gere centenas de casas e apartamentos de férias em Portugal.

Categorias:Algarve, Turismo