Ambiente

LOULÉ | Água cristalina vai voltar a correr na Ribeira do Cadoiço com investimento em nova conduta na cidade

Dentro de um ano, louletanos e visitantes poderão usufruir de uma Ribeira do Cadoiço despoluída, onde a cor turva dará lugar a águas límpidas. A obra de criação de um coletor alternativo ao instalado na Ribeira da Graça (águas e esgotos) foi ontem lançada, após a assinatura do auto de consignação, e irá dar resposta a um problema ambiental há muito apontado pela comunidade.

“Uma obra fundamental” que incidirá na recuperação da linha de água onde periodicamente se registavam “ocorrências de alta carga poluente de esgotos”, em virtude da deterioração da conduta que corre dentro de um túnel que atravessa subterraneamente toda a cidade de Loulé, de Norte para Sul (entre a Avenida Laginha Serafim e a Ponte do Cadoiço na estrada para Faro).

“Esse túnel estava muito degradado e bastava chover um pouco para que o esgoto transbordasse e entrasse na linha de água, com aquelas imagens muito tristes de ver um local tão bonito, mas com uma ribeira altamente poluída”, explica o autarca Vítor Aleixo.

Esta empreitada irá colocar um ponto final neste problema. Joaquim Farrajota, responsável pelo Departamento de Obras do Município, adianta que os trabalhos irão constar na criação de uma adutora que passará por um sistema autónomo, permitindo que, quando as chuvas caírem, possam correr pela zona de drenagem natural, ou seja, pela própria ribeira. Já a parte dos efluentes das habitações, irá diretamente para a rede de esgotos. “Com esta alternativa, o esgoto corre para ele próprio e a parte dos pluviais descarrega naturalmente na ribeira seguindo depois para o mar”, observa.

Um coletor de grande dimensão será criado com início na Rua Drª Laura Ayres (em frente ao Tribunal Administrativo de Loulé), seguindo pela Rua Ventura de Sousa Barbosa, Rua General Humberto Delgado, Rua Ribeiro da Graça e Rua do Cadoiço. Será também executado um troço de coletor doméstico com as mesmas características entre a zona de estacionamento que liga a Rua General Humberto Delgado e a Rua Antero de Quental, assim como realizada a reparação e substituição das infraestruturas existentes ao longo do todo o percurso sempre que necessário.

Depois de longos anos e muitos estudos realizados pelo LNEC, a obra está finalmente no terreno, um investimento de 1,5 milhões de euros.

Quando os trabalhos estiverem concluídos, Vítor Aleixo acredita que este ex-líbris do património ambiental em pleno centro urbano de Loulé poderá ser um ponto de convívio, fruição e contemplação por parte dos cidadãos. Até porque, logo ali ao lado, está a ser desenhado o Parque Urbano e Agrícola de Loulé.

“É preciso que os louletanos venham fruir a água a correr limpa, com toda a vegetação ribeirinha, com a recuperação das plantas autóctones, com hotéis para insetos para recuperar a biodiversidade e eliminar as plantas invasoras que são muito comuns nas galerias ripícolas. Tudo isso vai ser objeto de um trabalho que já começou e que terá muitas mais condições para avançar com esta obra que contribuirá fortemente para a recuperação ambiental das linhas de água”, ressalvou o responsável municipal.

Categorias:Ambiente, Loulé