Ambiente

Lagos registou aumento da recolha seletiva

O aumento da recolha seletiva e de retoma de resíduos recicláveis (vidro, papel e embalagens, é uma meta diária e anual da empresa ALGAR, empresa que, no Algarve, gere o sistema integrado de recolha seletiva, transferência, triagem dos materiais destinados à reciclagem, aproveitamento energético do biogás produzido em aterro sanitário, compostagem de resíduos verdes e o tratamento dos resíduos sólidos urbanos depositados em aterro sanitário.

Segundo os dados apresentados pela empresa, no que respeita ao desempenho da recolha seletiva, do ano de 2021, o município de Lagos registou um acréscimo das quantidades de resíduos urbanos recolhidos de 4% desde 2015 e encontram-se atualmente nos 17%, o que representa um valor bastante superior comparativamente com a média do algarve, que se encontra nos 12%. Lagos tem a segunda melhor taxa de desvio a par com Portimão. Apenas Aljezur, apresenta uma taxa de desvio superior a Lagos, nos 19%. Esta linha de crescimento positiva registada em Lagos contraria a tendência do Algarve, em que o valor de 2021 é inferior aos valores dos anos 2020 e 2019.

Relativamente ao número de ecopontos por habitantes, o concelho de Lagos regista 10 ecopontos por cada 1000 habitantes, valor que se mantém constante desde 2018, continuando a registar o número mais elevado do Algarve, em que a média está nos 9 ecopontos por cada 1000 habitantes. Este desempenho deve-se ao investimento que tem sido feito pelo município na expansão da rede de ecopontos, o que permitiu acompanhar e dar resposta ao aumento do número de habitantes.

Lagos tem vindo a crescer ao longo dos últimos anos, encontrando-se acima da média do Algarve. O investimento da autarquia nas ilhas ecológicas tem levado a uma evolução positiva do número de ecopontos por habitante, estando o concelho acima da média. A retoma de recicláveis (capitação), em Lagos, encontra-se acima da média da região, com um valor de 117 kg/habitante/ano.

No que respeita aos valores per capita de retomas de recicláveis no Algarve, o mesmo é de 85 kg/habitante/ano. Lagos encontra-se, uma vez mais, acima desse valor, com uma retoma de 117 kg/habitante o que se traduz em 37,7% acima do valor médio, um contributo muito importante para que a meta dos 79kg/hab./ano definida para a região pudesse ser alcançada. Comparativamente com os outros municípios algarvios, somos o 3º município da região com melhor valor de retoma de recicláveis em 2021, estando apenas atras de Aljezur e Vila do Bispo. Quanto às quantidades de recicláveis recolhidos em 2021, Lagos ficou na 4ª posição de município do algarve que mais reciclou, embora os três municípios com valores superiores (Portimão, Loulé e Faro) apresentarem capitações inferiores a Lagos.

Neste processo, a colaboração da população é fundamental no sucesso alcançado, sendo estes dados sinónimo do crescente envolvimento dos munícipes, pois o cumprimento das regras de reciclagem, começa em cada cidadão, nas empresas e nos estabelecimentos comerciais.

O município de Lagos e a ALGAR têm promovido uma série de iniciativas e projetos, nomeadamente campanhas de sensibilização à população em geral e ao comércio e restauração em particular, o alargamento da rede de ecopontos, o serviço “Algarlinha”, e a implementação do “Recicla +”, o novo projeto piloto de recolha porta-a-porta, financiado por fundos europeus, que incluiu a aquisição de 4450 contentores e quatro viaturas de recolha seletiva, abrangendo nesta experiência três municípios, entre os quais o de Lagos, onde o projeto está a servir a população residente na zona dos Montinhos da Luz.

Categorias:Ambiente, Lagos