Algarve

BE Algarve exige reforço do financiamento do Programa de Apoio Sustentado às Artes

A ACTA é a única companhia profissional sediada no Algarve onde há mais de vinte anos, vem não só assegurando a programação do teatro Lethes, em Faro, como um importante serviço educativo, o VATe.

A ausência de financiamento da ACTA, originou já a dispensa de dois trabalhadores, havendo mais dez trabalhadores em risco. A Companhia de Teatro do Algarve fechará as portas se não for conseguida a verba necessária para manter a atividade durante os próximos quatro anos e tal, será uma verdadeira catástrofe para as Atividades Culturais do Algarve e para a cidade de Faro.

O Bloco de Esquerda do Algarve, apela à união de todas as forças vivas e das cidadãs e cidadãos, em defesa da ACTA e das instituições, que apesar de cumprirem os requisitos para a atribuição do respetivo financiamento, não foram contempladas!

O Bloco de Esquerda que apoia o movimento 1% para a cultura, desde a primeira hora, reafirma o seu empenho na defesa do financiamento regular e previsível das Atividades Culturais e dos seus agentes.

Neste momento grave, expressa a sua solidariedade com as instituições que tanto têm contribuído para produção cultural e a sua divulgação no Algarve: Folha de Medronho – Associação de Artes PerformativasMãozorra Associação CulturalJAT – Colectivo Janela Aberta Teatro – Associação Cultural, da Corpodehoje – Associação Cultural e da  ACTA – Companhia de Teatro do Algarve.

O BE Algarve não aceita esta ausência de financiamento da DGArtes e exige reforço do financiamento do PASA.

É difícil imaginar o Algarve sem a possibilidade de desenvolver Cultura, este é o momento de todas e todos assumirmos um compromisso Cultural no Algarve!

O secretariado da Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda/Algarve

Categorias:Algarve