Loulé

BOLIQUEIME | II Desfile de Moda em Empreita

A Junta de Freguesia de Boliqueime promoveu na noite de sábado, dia 21 de julho, no adro da Igreja Matriz, um grandioso espetáculo onde a moda foi o tema.

Dando continuidade a um projeto que nasceu no ano passado, o qual superou todas as espectativas com largas centenas de visitantes, este ano desfilaram na passerelle montada para o efeito, cerca de três dezenas de modelos vestidas pela estilista local Irene Joaquim, a qual, ao longo de vários meses, confecionou as vestes, todas em empreita, proporcionando um magnífico espetáculo, diferente de qualquer outro pela sua originalidade e beleza, onde as luzes, a música apropriada para o efeito e outros afins fizeram deste um evento único na região.

A iniciativa foi apresentada por João Marques, segundo o qual, “em nome da Junta de Freguesia, agradeço a vossa presença. É bonito ver este adro da igreja completamente cheio. No entanto, e porque estamos no Algarve e o povo algarvio é muito solidário, a primeira palavra que eu gostaria de deixar aqui nem tem a ver muito com este desfile: Peço uma grande salva de palmas para os 1033 homens que conseguiram hoje dominar o fogo em Tavira e S. Brás de Alportel. Daqui de Boliqueime vai um enorme abraço e um forte respeito por todas as pessoas que por lá andaram nestes dias”. Passando ao desfile, “como nós temos aqui 3 senhoras muito bonitas, e suspeito que alguma delas ainda solteira, ao contrário do que fiz no ano passado, vou pedir-lhes para nos explicar, nas suas palavras, afinal o que é isto da empreita de palma, uma coisa que já dura há muitos e muitos anos aqui no Algarve, principalmente em Boliqueime, uma terra que está no chamado Barrocal Algarvio, é uma das tradições mais antigas desta terra”.

Assim, a D. Almerinda, a D. Laurinda e a D. Felismina disseram que trabalham com empreita de palma há já várias décadas, lamentando que já não haja palma no Algarve, tendo a mesma de vir de Espanha, partilhando com os presentes um pouco da sua arte com a empreita e as suas várias aplicações, designadamente em utilidades e adereços para o lar mas também em peças de vestuário, bem exemplificadas no desfile daquela noite.

Deu-se então início ao desfile, muito do agrado de todos, a julgar pelas fortes e longas ovações ao passar de cada modelo, ao longo das mais belas árias de ópera.

Os modelos foram confecionados pela estilista local Irene Joaquim, enquanto a conceção artística, os penteados e a maquilhagem ficaram a cargo de Maria José Silva (Zeza Cabeleireiros).

Rui Mogo com as modelos

Após o desfile, subiu ao palco o presidente da Junta de Freguesia de Boliqueime, Rui Mogo, cumprimentou “esta magnífica plateia e, em particular, o senhor vice-presidente da câmara, o senhor Eng. José Graça, a senhora vereadora Dr.ª Teresa Menalha, a Dr.ª Helena Mak, do Turismo do Algarve e demais convidados. Muito obrigado por terem vindo aqui hoje a este evento que, como já aqui foi dito e todos vocês sabem, é o 2.º, que começou o ano passado, um simples desfile de moda que este ano culminou neste magnífico espetáculo, já não é apenas um desfile, com tanta beleza, com tanta criatividade, tanta imaginação, tanto glamour e, como tal, não podia deixar de chamar a isto um magnífico espetáculo e certamente todos vocês vão concordar comigo. Para isto se ter tornado uma realidade, como o João já afirmou, foi preciso muita gente envolver-se neste projeto. É, de fato, da responsabilidade da junta de freguesia, que assumiu o comando deste espetáculo mas não podemos deixar de chamar aqui todas as pessoas que o tornaram possível, bem como a câmara municipal, que colocou o som; o Turismo do Algarve, que fez a divulgação deste evento; o Museu (restaurante em Vale Covo – Boliqueime) que colaborou com a cedência destas cadeiras onde vocês estão sentados; a Dó Ré Mi, que está aqui presente de forma profissional mas também colaborou; as próprias modelos; a Irene Joaquim; a Zeza Cabeleireiros; a imprensa aqui presente, aos jornalistas e aos fotógrafos. São eles que a partir de amanhã vão mostrar ao país inteiro o que nós tão bem sabemos fazer em Boliqueime. Vou certamente esquecer muita gente e a eles peço desculpa. E agora deixo aqui um alerta às televisões deste país: convidei-as no ano passado, convidei-as este ano e nunca marcam presença aqui. Para elas, também certamente perderam uma grande oportunidade, não só de mostrar isto ao nosso povo, ao nosso país mas também além fronteiras”.

Texto: Jorge Matos Dias

Fotos: Alfredo Machado

Categories: Loulé

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.