Algarve

PSD/Algarve recusa retirada do Helicóptero do INEM do Algarve

Ainda a sobre a decisão do INEM de retirar o Helicóptero de Loulé

Se a insensibilidade política paga-se imposto o Presidente do INEM teria uma conta elevada. O dirigente máximo daquele serviço, Miguel Soares de Oliveira, faltou ao respeito aos Algarvios e aos seus eleitos locais aquando da sua audição na Comissão de Saúde da Assembleia da República afirmando que “não pode permitir que os próprios autarcas escolham os helicópteros que querem”. Tudo isto aconteceu no seguimento de uma questão que lhe foi dirigida pela Deputada do PSD eleita pelo Algarve, Elsa Cordeiro onde esta o questionou sobre qual o ponto situação do helicóptero do INEM estacionado no heliporto de Loulé. A parlamentar informou que “compreende as necessidades de ganhos de eficiente e redução de custos nos serviços de emergência médica nacional, mas pretendia que lhe fosse esclarecido os motivos para se ter optado pela transferência do helicóptero para o distrito de Beja em detrimento de Loulé, quando a prevalência de ocorrências no Algarve é de 87% e no Alentejo de 11%”.

Numa atitude no mínimo lamentável o dirigente desta estrutura para além de atacar os autarcas desta região desvalorizou as estatísticas afirmando que estas “têm estes “malabarismos”, uma vez que é natural que um meio aéreo que presta serviço na região do Algarve tenha prevalência de serviços no Algarve em detrimento de outras regiões e que por exemplo o helicóptero de Lisboa 50% da sua actividade foi no Alentejo.” O dirigente informou ainda que relação aos helicópteros Kamov quem gere os mesmos é a EMA – Empresa de Meios Aéreos, SA., que possui os seus planos para colocar helicópteros, sendo que os mesmos são também utilizados na busca e salvamento na orla marítima, por isso é natural a opção da sua localização no Algarve. Quanto à retirada do actual helicóptero que está estacionado em Loulé desde 06/10/2012, o dirigente informou que o mesmo será retirado logo que o helicóptero Kamov fique operacional.

Posto isto, e tendo em conta os diversos avanços e recuos que este processo teve, importa que sejam prestados todos os esclarecimentos sobre os factores que foram tidos em conta nesta decisão.

Está o Helicóptero Kamov habilitado para o transporte de doentes?

Está o Helicóptero Kamov habilitado e fazer aterragens seguras no Hospital de Faro e as entidades competentes, nomeadamente a Força Aérea Portuguesa concordam com esta opção?

Será que Helicóptero Kamov é o mais indicado para operações de socorro que exigem agilidade e rapidez de actuação?

Este é um processo de difícil compreensão e não deixa de ser no mínimo estranho que surjam notícias relacionadas com interesses económicos associados a esta matéria. Se o estado possui capacidade área (existem helicópteros mais ágeis e versáteis – PUMA – parados) porque continua refém de alugueres astronómicos para responder às suas necessidades?

Após ter esvaziado de forma irresponsável as estruturas do INEM no Algarve, o Presidente do INEM volta a atacar esta região com esta decisão que claramente prejudica a população do Algarve bem como é uma mau sinal para a principal actividade económica da região, o Turismo.

Face a estas declarações o PSD/Algarve recusa liminarmente a retirada do Helicóptero do INEM no Algarve e apela ao Ministro da Saúde, Paulo Macedo que venha a terreno interceda neste caso, que tome posição sobre a matéria, pondo um ponto final no mesmo, garantindo a permanência deste equipamento na região.

Paulo Alentejano, Gabinete de Comunicação do PSD Algarve

Categories: Algarve, Loulé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *