Albufeira

FERREIRAS | Tomada de Posse dos novos Órgãos Autárquicos

Os novos Órgãos Autárquicos da Freguesia de Ferreiras – Albufeira foram eleitos e tomaram posse em cerimónia que teve lugar no dia 17 de outubro, na Junta de Freguesia local. Perante uma sala completamente cheia, com entidades civis, militares e religiosas da freguesia e do concelho, os novos autarcas de Ferreiras tomaram posse, tendo sido eleitos os novos membros da Assembleia de Freguesia e da Junta de Freguesia locais.

 

Foram eleitos os seguintes membros:

Assembleia de Freguesia de Ferreiras:

Presidente – Helder Martins Bota

1.º Secretário – Nuno Filipe Martins dos Santos

2.º Secretário – Tânia dos Santos Jerónimo

Junta de Freguesia de Ferreiras:

Presidente – Fernando Gregório

Secretário: Duarte Nuno Rodrigues Cabrita

Tesoureira: Rute Isabel Ferreira da Luz

O presidente da Assembleia de Freguesia agora eleito, Helder Bota, começou por “felicitar todos, vencedores e vencidos, neste ato eleitoral. Todos somos pessoas que se conhecem, pessoas de bem, que se respeitam. Para mim, é uma grande honra ocupar novamente a presidência da Assembleia de Freguesia”, felicitando os presidentes cessantes, Jorge Vicente (Junta de Freguesia) e José Farinheira (Assembleia de Freguesia), “bem como todos os outros membros, pelo seu desempenho e dedicação. Se mais não fizeram, foi apenas e só porque não foi possível”, acrescentando: “Nesta assembleia, serei um presidente atento a tudo o que se passar na freguesia, como representante de todos os naturais e residentes e, como órgão fiscalizador e deliberativo, farei os possíveis, colaborando sempre mas atento. Fico satisfeito por verificar que temos um número razoável de jovens. Sejam bem vindos com interesse de partilhar e aprender a serem solidários com os menos jovens, que é trabalhar para a comunidade. O futuro é vosso e contamos convosco”, alertando: “Só poderemos ter sucesso se nos unirmos, trabalhando em equipa e ajudar quem precisa do nosso apoio. Ser solidário é fazer o bem, ajudar os idosos e não só, pois temos conhecimento que há na freguesia pessoas que passam por muitas dificuldades. É, pois, necessário reconhecer esta realidade e estar atento. Sejamos humildes. Estaremos vigilantes mas sempre dispostos a aprender com os outros. Sejamos iguais a nós próprios. Jovens, não alterem os seus hábitos nem os estudos. Juntem o vosso conhecimento, o vosso saber à experiência dos mais velhos. As dificuldades são muitas, como todos sabemos. Não vai ser fácil governar nestas condições mas não vamos desanimar. Nós, autarcas, temos que usar a nossa imaginação para ultrapassar estas mesmas dificuldades e fazer um esforço, se possível, para que os munícipes sintam orgulho nos seus autarcas e sintam que valeu a pena. Meus amigos, vamos ao trabalho. E é já amanhã. Vamos dar as mãos, todos em conjunto, câmara municipal, juntas de freguesia, todos em sintonia, trabalhar pelo bem estar de todos aqueles que aqui residem e que nos visitam e que estes últimos sintam saudades de regressar. Foi para isso que nos elegeram. Vamos ao trabalho”.

Intervenção do presidente da Junta de Freguesia de Ferreiras, Fernando gregório

Intervenção do presidente da Junta de Freguesia de Ferreiras, Fernando gregório

O presidente da Junta de Freguesia agora eleito, Fernando Gregório, começou por “deixar uma palavra de reconhecimento e apreço a todos os órgãos autárquicos da freguesia que agora cessam funções, que trabalharam e deram o melhor de si na defesa dos interesses da freguesia. Aos autarcas agora eleitos, desejo as maiores felicidades no desempenho das suas funções, pois estou convencido que as desempenharão com brio e sentido de responsabilidade”, deixando “um agradecimento especial a todos aqueles que fizeram parte da minha lista, que fizeram uma campanha extraordinária que conduziu à vitória eleitoral. Agora, vamos todos, no poder ou na oposição, assumir uma maior responsabilidade política. O que aqui está em causa são os altos interesses da freguesia e do concelho. Por isso, é hora de deixarmos de lado as questões partidárias e darmos as mãos. Isso significa colaboração institucional onde as parcerias possam existir de forma séria, procurando sempre melhorar as condições das populações. É com este propósito que estamos cá todos, freguesias e câmara municipal. Sabemos que a situação não está fácil, não só no país mas também no concelho de Albufeira mas estou plenamente convencido que saberemos, com espírito de abertura e colaboração, resolver os problemas que nos afetam”, salientando: “Dizia o senhor presidente da câmara, há uns dias atrás, que as juntas de freguesia são os órgãos autárquicos que estão mais perto das pessoas, que conheciam melhor a realidade e que, pela sua proximidade, resolviam mais rapidamente os problemas e, em geral, com menores custos. Estou plenamente de acordo com esta convicção. Sr. presidente da câmara municipal, pode V./Ex.ª contar sempre com a nossa disponibilidade. Quero, no entanto, Sr. presidente, partilhar algumas preocupações: Uma delas tem a ver com os recursos financeiros da freguesia, os quais são limitados e mal chegam para as despesas correntes; Por outro lado, sabemos que há famílias com crianças e idosos passando por grandes dificuldades. A solidariedade é para nós uma prioridade. Nesta área, a sensibilidade e o espírito de entreajuda têm que ser permanentes. Contamos com as instituições de solidariedade social da freguesia e contamos trabalhar em parceria com V/Ex.ª”, partilhando com os presentes um episódio recente ocorrido numa farmácia em que uma pessoa teve de escolher entre os medicamentos da receita, pois não tinha dinheiro para todos eles. “E a pergunta é: E nós, o que fazemos em relação a isto? Será que os nossos programas estarão suficientemente sensibilizados e adaptados para menorizar o sofrimento destas pessoas? Deixo aqui esta preocupação. Tenho a certeza de que, em conjunto, iremos tratar da área social com a dignidade que ela merece”.

Intervenção do presidente da Câmara Municipal de Albufeira, Carlos Silva e Sousa

Intervenção do presidente da Câmara Municipal de Albufeira, Carlos Silva e Sousa

O novo presidente da câmara municipal, Carlos Silva e Sousa, iniciou a sua intervenção endereçando “uma palavra de estímulo, que é devida, a todos aqueles que decidiram abandonar o conforto das suas casas e resolveram dar aos outros o seu trabalho, nesta coisa que é a política. Trabalhar para os outros é um ato nobre e esta casa cheia é um bom sinal de que esta freguesia se preocupa consigo mesma. Temos também que saber transmitir aos outros que devem cada vez mais participar na vida pública porque não há só direitos. Também há deveres. E isso é viver a cidadania e é importante que todos nós façamos alguma coisa para participar na vida pública”. Dirigindo-se aos órgãos eleitos na freguesia, “naturalmente que iremos fazer o trabalho possível e em colaboração. Senhor presidente, aquelas palavras que me citou, mantenho-as na íntegra. Ou seja, acredito efetivamente no trabalho das juntas de freguesia pela sua proximidade com as populações e nós temos que saber que esse dinheirinho que vai para as juntas é sempre muito bem empregue, muito bem gasto e, regra geral, sai sempre mais barato. Portanto, iremos ter um trabalho institucional. Pode contar comigo. A parte social é seguramente uma prioridade da câmara. As pessoas são um grande investimento que temos que fazer. São investimentos que não se podem adiar para amanhã. Não é amanhã que se resolve o problema de hoje, que é um problema premente e urgente. Seguramente que vamos fazer um bom trabalho em conjunto e quem beneficia com isso são aqueles que nos elegeram, são as populações que esperam de nós o melhor que temos para dar”. A terminar, Carlos Silva e Sousa considerou: “Em conjunto, vamos saber encontrar os melhores caminhos e as melhores soluções e todos nós teremos no fim, daqui a quatro anos, orgulho de sentirmos que cumprimos o nosso dever e a nossa obrigação. É isso que nos é devido fazer e eu estou confiante de que o faremos da melhor maneira. Com certeza que a câmara e a junta irão fazer um bom trabalho com uma boa colaboração institucional e pessoal. A campanha já acabou e agora o que conta são as Ferreiras, é o concelho e são as outras freguesias. Isso agora é que conta e todos nós temos que pensar assim porque só assim poderemos construir algo de bom, pondo sempre à frente de tudo os interesses superiores, interesses que nos transcendem a todos nós. Estamos aqui com essas responsabilidades”.

Por: Jorge Matos Dias – PlanetAlgarve

Categories: Albufeira

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.