Ocorrências

OLHÃO | Suspeito de assalto a banco detido e libertado

Consumidor de heroína, levou duzentos euros em moedas entregues por um funcionário da dependência bancária do Totta Santander, em Olhão, ao ameaçá-lo dizendo que uma outra pessoa se encontrava no exterior com uma arma apontada para si. É a primeira vez que assalta um banco e fica sujeito a Termo de Identidade e Residência por decisão do Tribunal de turno de Loulé.

gnr

O Tribunal de turno de Loulé decidiu, neste sábado, mandar em liberdade mediante a prestação do Termo de Identidade e Residência (TIR) um homem de 42 anos e nacionalidade portuguesa, consumidor de heroína, após ter sido detido, na sexta-feira, em Olhão, por agentes da Polícia da Segurança Pública (PSP) suspeito de ter assaltado a dependência bancária do Totta Santander, situada na Urbanização Paraíso, nesta cidade, de onde levou cerca de duzentos euros.

Segundo apurou o DN, o indivíduo é primário naquele tipo de crime, embora seja já conhecido dos elementos da Brigada de Investigação Criminal da PSP por envolvimento noutro tipo de delitos.

O suspeito entrou naquela dependência bancária perto da hora do encerramento, cerca das 15.00 horas, utilizando o capuz da camisola colocado sobre a cabeça e óculos escuros, com as mãos colocadas nos bolsos da camisola, e dirigiu-se ao funcionário presente no local, a quem comunicou que se tratava de um assalto e que outra pessoa se encontrava no exterior com uma arma apontada a si. De acordo com a PSP, “embora não tivesse exibido qualquer arma, o funcionário perante o cenário descrito e ameaças proferidas, entregou ao suspeito cerca de 200 euros em moedas, única quantia que estava ao seu alcance”. O assaltante acabou por abandonar a dependência bancária.

Depois do alerta dado à Esquadra de Olhão, foi de imediato montado um dispositivo policial de interceção direcionado para os diversos caminhos de fuga que poderiam ser adotados, tendo o suspeito sido visto a abandonar uma viatura e a entrar numa pensão situada próximo do local do roubo. Pouco depois, acabou por ser detido no interior de um quarto da pensão, onde também foi recuperada a quantia furtada pouco antes na dependência bancária do Totta Santander, assim como o moedeiro no qual se encontrava colocado o dinheiro. Um comunicado da PSP refere que o homem acabou por confessar o crime, tendo justificado tal conduta com a necessidade de adquirir produto estupefaciente para o seu consumo.

Fonte: José Manuel Oliveira / DN

Categories: Ocorrências

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.