Algarve

COMUNICADO da AFA | Torneio Inter-Associações de Sub-18 em futsal

A Associação de Futebol de Évora, eliminada do Torneio Inter-Associações de Sub-18 em futsal, veio considerar que não existiu verdade desportiva por algumas seleções terem utilizado jogadores de idade inferior às previstas no regulamento da prova. Esta despropositada reacção não é mais do que uma falácia mal imaginada merecedora do nosso total e veemente repúdio.

Seleção de Futsal Sub'18 do Algarve

Seleção de Futsal Sub’18 do Algarve

Estamos na presença de um comportamento lamentável, que condenamos em absoluto, por se apresentar destituído de qualquer fundamento ético ou até, como se alega, regulamentar, e ainda mais nas circunstâncias em que a questão foi levantada: só depois de perder um jogo, e por margem folgada, a Associação de Futebol de Évora descortinou um alegado atropelo ao regulamento da prova…

Querer ganhar na secretaria o que foi perdido em campo não pode levar, em caso algum, ao recurso a argumentos de todo insustentáveis, dado até, nas Selecções jovens de Portugal, tanto no futebol como no futsal, serem regularmente chamados jogadores e jogadoras com idade muito inferior à que se apresenta como limite para o respectivo escalão.

À parte o caso específico de competições de veteranos, tanto a nível interno como na esfera internacional alguma vez surgiu uma reclamação por uma equipa actuar com atletas mais jovens que o limite imposto. A Associação de Futebol de Évora cometeu a “proeza” do ineditismo nesta matéria, com a agravante de pôr em causa a seriedade dos procedimentos adoptados por outras representações, nas quais se inclui a Associação de Futebol do Algarve.

A organização dos Torneios Inter-Associações cabe à Federação Portuguesa de Futebol e, como não poderia deixar de suceder, o regulamento específico da prova nunca poderia, em circunstância alguma, sobrepor-se ao Regulamento Geral de Provas da FPF.

Lamenta-se, de resto, que a FPF não tenha tomado de imediato uma posição clara e inequívoca, logo que surgiu a estranha reação da Associação de Futebol de Évora. Sujeitar a questão a uma votação de um representante de cada uma das delegações presentes, com a condição de existir unanimidade, quando se sabia que haveria sempre uma Associação em total falta de sintonia com as restantes, não se apresentou como o caminho que se impunha. E muito menos se afigurou razoável deixar uma decisão pendente para depois do segundo jogo de Évora, ficando no ar a ideia de que a mesma poderia depender do resultado daquela partida.

Ainda assim, e atendendo à ameaça da punição com derrota levantada na referida reunião, a Associação de Futebol do Algarve não utilizou o seu único jogador nascido em 1998 no primeiro compromisso agendado no âmbito do Torneio Inter-Associações de Sub-18. O mesmo só atuou depois de o Prof. Silveira Ramos, Diretor Técnico da FPF, nos ter garantido, após consulta ao gabinete jurídico da Federação, que o atleta em questão poderia participar na prova, sem qualquer tipo de restrições.

Por: AFA – Associação de Futebol do Algarve

Categories: Algarve, Desporto, Opinião

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.