Algarve

Pastoral do Turismo é exemplo de boas práticas

Equipa diocesana do Algarve apresentou o trabalho desenvolvido nas Jornadas Nacionais da Pastoral do Turismo

cartaz

A equipa da pastoral do turismo da diocese do Algarve participou no último fim-de-semana nas Jornadas Nacionais da Pastoral do Turismo em Fátima, onde mostraram o trabalho que tem sido feito na área desde 2012.

“Entre outras coisas, foi criado um site, uma página de facebook atualizada com informação sobre eventos e sobre o património da região; foram preparados vários outros suportes comunicacionais, nomeadamente brochuras, que em breve estarão disponíveis e mantido e um contato estreito, quer com turistas, quer com todos os que podem ter e têm um papel decisivo nas questões relacionadas com o turismo procurando aferir caminhos e estratégias a seguir», refere o padre Miguel Neto, responsável pela equipa da pastoral do turismo da diocese do Algarve em declarações ao jornal Folha do Domingo.

O caso algarvio, bem como o da diocese de Bragança-Miranda foram apresentados como exemplos de boas práticas durante as Jornadas Nacionais da Pastoral do Turismo, uma vez que estas duas dioceses são, no momento, as únicas em Portugal com secretariados organizados e exclusivamente a trabalhar nas questões relacionadas com o turismo.

“A Igreja portuguesa e nomeadamente a Igreja algarvia também percebeu esta necessidade de se afirmar neste âmbito e, por essa razão, a primeira equipa diocesana da Pastoral do Turismo a ser criada no nosso país foi a do Algarve”, refere o padre Miguel Neto.

O semanário Folha de Domingo adianta que “quase todos os membros da equipa da pastoral do turismo da diocese do Algarve estiveram presentes em Fátima, onde fizeram uma comunicação sobre o trabalho promovido na diocese e asseguraram outros apoios à organização do evento (secretariado, criação de materiais promocionais do evento, entre outras tarefas)”.

“Procurámos, na comunicação que apresentámos, mostrar a reflexão que foi feita como preparação deste trabalho que agora estamos a desenvolver e que nos possibilitou a definição de uma identidade própria, já que o Algarve tem características muito específicas no que concerne ao turismo religioso”, explica em declarações ao Folha de Domingo, Luís Santos, membro da equipa da pastoral do turismo do Algarve.

A formação e a preparação dos sacerdotes e leigos para receber os turistas foi outro dos temas discutidos nestas primeiras jornadas da pastoral do turismo, algo que na opinião do padre Miguel Neto, responsável pela equipa da pastoral do turismo da diocese do Algarve, é “fundamental” e “implica trabalhar no sentido de garantir que os templos possam estar abertos, interpretados e sejam um espaço onde, mais do que apenas olhar para as pedras ou para as obras de arte, se possa compreender que todos esses elementos falam de Deus”.

As Jornadas da Pastoral do Turismo decorreram em Fátima nos dias 10 e 11 de janeiro e foram organizadas pela Obra Nacional da Pastoral do Turismo, organismo dependente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana.

Fonte: Agência Ecclesia – FD/MD

Categories: Algarve, Turismo

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.