Desporto

Entrevista com Fábio Guerreiro, um quarteirense campeão de motocrosse (15 fotos)

Fábio Alexandre Viegas Guerreiro é natural de Quarteira. Piloto de motocrosse, tem competido em algumas classes e conquistado alguns títulos. Para o conhecermos melhor, o PlanetAlgarve entrevistou este jovem piloto da TeamRocket Algarve.

PlanetAlgarve: A paixão pelas motas começou em que idade?

Fábio Guerreiro: Começou desde muito cedo. Desde os 7 anos que ando de mota. O meu avô ofereceu-me uma mota e foi nessa altura que comecei com esta doidice mas em competição só comecei em 2001. Tenho feito uma carreira com altos e baixos. Agora já não é do agrado do meu avô por causa das lesões. Foi ele que me ofereceu a primeira mota e, entre aspas, o culpado é ele. Às vezes, quando as lesões acontecem, de certa forma, ele sente-se culpado.

PlanetAlgarve: Ao longo destes 13 anos, quais têm sido as classes de competição?

Fábio Guerreiro: Em 2001, comecei a disputar o Campeonato Nacional de 125, com 14 anos, onde participei até 2010. Depois, passei por várias classes. Competi também na classe de BMX2, onde sofri mais uma lesão. Já eram muitas lesões e nessa altura abandonei a competição. Agora, estou de pit bike, onde é preciso treinar menos, menos dedicação e anda-se mais devagarinho.

PlanetAlgarve: Como tem corrido a carreira desportiva?

Fábio Guerreiro: A carreira desportiva tem estado bem, com altos e baixos, tive alguns sucessos mas também algumas lesões. Estes últimos anos têm sido muito bons. Não me tenho aleijado e tenho tido alguns títulos a nível nacional. Também ganhei algumas provas a nível internacional.

PlanetAlgarve: Quais foram os títulos conquistados?

Fábio Guerreiro: Em 2012, ganhei a Corrida das Nações, disputada entre 8 países, em Novara, Itália e ganhei essa corrida. Em 2013, também ganhei corridas em Espanha e Itália. Em 2014, só fui uma vez a Espanha, com o apoio da junta de Freguesia de Quarteira, à qual quero desde já agradecer, e também consegui vencer. Foi em Barcelona, a contar para o campeonato espanhol.

PlanetAlgarve: Que provas existem em Portugal?

Fábio Guerreiro: Em Portugal, temos o Campeonato Nacional e quando tenho disponibilidade e alguns apoios, vou lá fora também.

PlanetAlgarve: O Campeonato Nacional tem sido cumprido do princípio ao fim?

Fábio Guerreiro: Sim, tenho disputado o Campeonato Nacional por inteiro, composto por 7 corridas. Depois, temos umas provazinhas que não contam para o campeonato. Servem de treino. A nível nacional, estamos presentes em quase todas as provas.

PlanetAlgarve: Qual é o calendário do Campeonato Nacional?

Fábio Guerreiro: Este ano começou tarde. Começou em setembro e acaba em dezembro porque houve um problema com a organização. Normalmente, começa em abril e acaba em novembro.

PlanetAlgarve: É fácil treinar aqui em Quarteira? Há locais para isso?

Fábio Guerreiro: Para treino físico, temos muitos locais onde treinar. Podemos andar de bicicleta, frequentar o ginásio, temos boas condições para treinar. De pista, não temos muita coisa a nível de mota, que era o importante. Temos uma pista na Cortelha mas lá já há muitos anos que não me deixam treinar. Só há uma pista em Loulé, que já lá está há muitos anos, onde treinam grandes vedetas da modalidade, como o Márcio e o Miguel Farrajota. É a única pista que temos para treinar num raio de 100 quilómetros. Se queremos treinar, temos que ir para Espanha, para o Alentejo ou para Lisboa.

PlanetAlgarve: Quais são as perspetivas para o futuro?

Fábio Guerreiro: Espero continuar a correr e a disputar o Campeonato nacional de Pit Bikes e fazer algumas corridas de motas grandes, que é onde também me divirto. Quando não me conseguir divertir nas motas grandes, deixo de competir.

PlanetAlgarve: Há ainda alguma meta, algum objetivo desportivo que ainda falta alcançar?

Fábio Guerreiro: Agora, já não há muito. Agora apenas me tento divertir ao máximo. É isso que eu procuro. Desfrutar ao máximo a competição, que é aquilo que eu gosto. A competição e a adrenalina.

PlanetAlgarve: Então, as corridas são apenas um hobby?

Fábio Guerreiro: Agora, sim. Já foi a nível profissional, houve uma altura que só fazia corridas mas agora já só é um hobby. Já é diferente.

A terminar, Fábio Guerreiro agradece “a todos os que me têm apoiado ao longo da minha carreira, os meus pais, a minha namorada e todos os meus patrocinadores ao longo de todos estes anos, sem os quais nada disto teria sido possível, pelo que quero agradecer a todos eles. Agradeço também à Junta de Freguesia de Quarteira, na pessoa do seu presidente, Telmo Pinto, e do senhor Jorge Guerreiro, que também me têm apoiado.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categories: Desporto, Quarteira

1 reply »

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.