AGENDA

Campanha Olhe Pelas Suas Costas | Tabaco é fator de risco para as dores nas costas

Dia Mundial Sem Tabaco assinala-se a 31 de maio

Associado a diversas patologias, o tabaco é também uma das causas do desgaste da coluna vertebral, uma condição que propicia o aparecimento de hérnias discais e dores nas costas. O alerta é da campanha Olhe Pelas Suas Costas e surge no âmbito do Dia Mundial Sem Tabaco, que se assinala a 31 de maio.

“Sabemos que os fumadores têm maior probabilidade de desenvolver patologias relacionadas com o desgaste da coluna vertebral e dos discos intervertebrais, favorecendo o aparecimento de dores nas costas e de doenças como as hérnias discais lombares e cervicais”, alerta Paulo Pereira, coordenador nacional da Campanha Olhe Pelas Suas Costas.

“Os hábitos tabágicos aceleram o desgaste dos discos intervertebrais, uma vez que o fumo do tabaco tem a capacidade de estreitar os vasos sanguíneos por onde passam os nutrientes, uma situação que a longo prazo fragiliza a coluna vertebral. Quanto mais cedo a pessoa tiver começado a fumar, maiores serão as probabilidades de desenvolver a patologia”, acrescenta o neurocirurgião Paulo Pereira.

Estima-se que cerca de 2 a 3 por cento da população sofra de hérnias discais sintomáticas, embora o número de hérnias discais que não dão sintomas seja muito superior. O aparecimento de uma hérnia discal é mais frequente entre os 35 e os 50 anos de idade.

As dores nas costas são a principal causa de consultas médicas, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. As doenças que afetam a coluna representam mais de 50 por cento das causas de incapacidade física. Um estudo, realizado no âmbito desta campanha, indica que 28,4 por cento dos portugueses sentem que a sua atividade profissional já foi prejudicada ou comprometida de alguma forma pelo facto de terem dores nas costas e mais de 400 mil portugueses faltam ao trabalho por ano por este motivo.

Sobre a campanha Olhe Pelas Suas Costas:

A campanha Olhe pelas Suas Costas visa sensibilizar a população em geral para as dores nas costas, alertar para as suas consequências na vida pessoal e profissional dos portugueses, e educar sobre as formas de prevenção e tratamento existentes. A campanha conta com o apoio científico da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, da Sociedade Portuguesa de Neurocirurgia, da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação e da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia.

Para mais informações visite a página de Facebook: https://www.facebook.com/paginaolhepelassuascostas.

Categorias:AGENDA, Nacional, Saúde