Loulé

Agraciados receberam Medalha de Mérito Municipal de Loulé 2017

Para assinalar o Dia do Município, a Câmara Municipal de Loulé promoveu esta quinta-feira, 25 de maio, mais uma cerimónia de entrega das Medalhas de Mérito Municipal aos Agraciados, que decorreu na Sala da Assembleia Municipal. Este ano foram dez as personalidades/instituições homenageadas pela Autarquia.

A Medalha de Grau Ouro foi entregue a Carlos Silva Gomes, militar da GNR, que salientou a importância deste prémio. “É com grande orgulho que hoje recebo esta distinção do Concelho que desde há 3 décadas é o meu e no qual dediquei os anos mais produtivos da minha vida profissional, acompanhado sempre por grandes equipas de militares. Também neste Município fiz parte de vários projetos de solidariedade social, com destaque para a Casa da Primeira Infância. De todas as condecorações que já recebi esta passará a ser a mais importante”, realçou este homenageado.

Natural de Angola mas a residir em Loulé há várias décadas, Carlos Silva Gomes conta com um vasta formação militar, bem como nas áreas da segurança, combate à criminalidade, relacionamento interpessoal, legislação, entre outras. Profissionalmente, destaca-se o trabalho realizado no Algarve, nomeadamente como Comandante do Comando Territorial de Faro e também Comandante do Destacamento Territorial de Loulé, entre muitos outros. Foi também Governador Civil do Distrito de Faro. Atualmente exerce as funções de Oficial de Ligação do Ministério da Administração Interna junto da Embaixada de Portugal em Paris.

A sua intervenção estende-se também à área social, participando em vários projetos e a uma ligação muito especial com a Casa da Primeira Infância.

Com a Medalha de Prata foram distinguidos sete Agraciados. Um dos medalhados foi João dos Santos Simões, o empresário que ao longo de décadas tem estado à frente da Gráfica Comercial, e que fez parte da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Loulé no Pós-25 de Abril. Fez quatro mandatos como vereador desta Autarquia, com a responsabilidade de vários pelouros mas sem qualquer vencimento. Dirigente do Louletano Desportos Clube ao longo de décadas, foi um dos promotores da criação da Zona Industrial de Loulé.

Também o ilustrador Luís Furtado, considerado pelos seus pares como um dos maiores cenógrafos do país, recebeu a Medalha de Prata. Este louletano de berço realizou, ao longo do seu longo percurso profissional trabalhos em diversos ramos da pintura, entre os quais cartazes para as fachadas dos cinemas (por exemplo, Alvalade, Condes ou São Jorge), cenários para teatro (Parque Mayer ou Teatro Nacional de São Carlos), cenários para televisão (programas como “1-2-3” ou “Grande Noite”), publicidade ou cenografia. Criador da imagem do Carnaval de Loulé, de carros alegóricos, trajes e decoração do recinto nas últimas décadas, foi, ano após ano, uma figura incontornável da história do corso louletano.

A título Póstumo, o poeta popular Manuel de Brito Pardal foi distinguido com o Grau Prata. Conhecido como o único poeta popular que foi pescador, este quarteirense foi autor de uma poesia de carácter repentista, que versava sobre o mar, a faina, as parcas condições de vida, mas também sobre outras temáticas que revelam um homem que questiona a vida, a morte e um pouco de tudo aquilo que o rodeia. Foi a personagem central, em 1976, do documentário/longa-metragem “Mau Tempo, Marés e Mudança”, do cineasta Ricardo Costa. Faleceu em 1987.

Também a título póstumo, Filipe Leal Viegas foi condecorado pelo Município com uma Medalha de Prata. Manifestando desde sempre preocupação pelos problemas da comunidade, exerceu as funções de vereador da Câmara Municipal de Loulé. Passou a vice-presidente no mandato de Eduardo Delgado Pinto (1965/69), mantendo essa função durante vários mandatos e presidenciais, tendo chegado a exercer a presidência no impedimento do presidente em exercício. Faleceu em 1998.

O prestigiado médico José Manuel Pires Teixeira, especialista em Ginecologia/Obstretícia foi outro dos distinguidos com o Grau Prata. Fundou a Unidade de Oncologia Ginecológica e Senologia do Hospital de Santarém, que dirige até ao momento, e que é uma referência no rastreio do cancro da mama e do colo do útero.

A Medalha de Prata foi entregue também a Fernando Pedro, padre que dirige a Paróquia de S. Sebastião de Salir há mais de 40 anos. Das atividades por si realizadas nesta Paróquia destacam-se a promoção de obras na Capela de Nossa Senhora do Pé da Cruz, o restauro da Igreja Paroquial, a construção do complexo paroquial, a criação de um pequeno museu com objetos pertencentes à comunidade de grande valor cultural, o incentivo à ação sócio caritativa, entre outras iniciativas.

A única instituição que nesta edição recebeu uma Medalha (Grau Parta) foi o Club BTT Terra de Loulé, associação desportiva que, desde 2001, promove e divulga o BTT. É atualmente a maior escola e o maior clube de ciclismo do país, com atletas que são uma referência na formação e na competição das diferentes vertentes do BTT, com vários títulos individuais e coletivos.

Finalmente, foram agraciados com o Grau Bronze dois desportistas: Daniel Faísca Coelho, que se distinguiu como treinador e dirigente de karaté, fundador de vários clubes ligados à modalidade e responsável pela implementação deste desporto em vários concelhos algarvios; e Faustino Pires, com uma carreira dedicada ao rugby, enquanto jogador, treinador e dirigente desportivo. O seu percurso na modalidade já alcançou mais de 50 anos, grande parte ao serviço do Rugby Clube de Loulé, tendo exercido funções de team manager da seleção nacional de rugby.

Nesta cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, considerou ser este “um momento de grande simbolismo de uma Terra que se distingue muito pelas suas individualidades e identidade”. “Cada um dos presentes e dos que infelizmente já não estão connosco, na sua profissão e na sua vida pública, pautou-se por comportamentos e ações que hoje muito justamente foram reconhecidas pelo Município, que mais não fez do que interpretar um sentimento geral e de consenso em torno destas figuras e também do papel que o grupo desportivo aqui agraciado tem tido na promoção da modalidade a que se dedica e na formação dos seus jovens desportistas”, afirmou o autarca.

Vítor Aleixo aproveitou este momento de enaltecimento da identidade e cultura louletana para anunciar a data da Exposição “LOULÉ. Territórios, Memórias, Identidades”, que vai estar patente ao público no Museu Nacional de Arqueologia, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, a partir de 21 de junho.

“São sete mil anos de História que ficarão, por muitos meses, naquele palco único e privilegiado que é o Museu Nacional de Arqueologia, representados por peças que ‘falam’, que ‘contam’ histórias, muitas das quais expostas ao público pela primeira vez”, explicou, sublinhando a colaboração de várias pessoas envolvidas na sua organização. O autarca deixou o apelo a todos para uma visita a esta exposição que será uma montra na capital da História e tradições de Loulé.

Já o presidente da Assembleia Municipal, Adriano Pimpão, felicitou os Agraciados, referindo que “estes cidadãos são a garantia de que o futuro do Concelho é realizável”.

Categorias:Loulé