Loulé

Vítor Aleixo promete “mais ambição, energia e criatividade” no novo mandato à frente da Câmara Municipal de Loulé

Captação de investimento para o interior do Concelho é uma das grandes apostas

Foi com um minuto de silêncio em homenagem às vítimas dos incêndios florestais que assolaram o país que teve início a cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos autárquicos que, nos próximos quatro anos, irão liderar os destinos do Município de Loulé. Nesta segunda-feira, 16 de outubro, o Cine-Teatro Louletano foi palco deste momento em que Vítor Aleixo volta a assumir as funções de presidente de Câmara, enquanto que Adriano Pimpão é reconduzido no cargo de presidente da Assembleia Municipal.

Depois de um mandato marcado pelo reequilíbrio financeiro e pelo apoio social às famílias do Concelho afetadas pela crise, Vítor Aleixo garantiu que o próximo quadriénio será de “mais ambição, energia e criatividade”, com destaque para os projetos que permitam atrair mais investimento para o interior, com o intuito de diminuir as assimetrias que se verificam entre a zona litoral e as freguesias marcadas pela desertificação e envelhecimento, sem descurar as questões ambientais, um dos pilares da política municipal encetada em 2013.

“Estes territórios estão bem servidos de equipamentos, têm bons acessos, falta-lhes apenas economia. Iremos criar as condições para induzir atividade económica para atrair investimento, nomeadamente na área do turismo de Natureza, das pequenas empresas de economia circular ou na área florestal”, considerou. É precisamente nesta área que irá desenvolver-se um dos projetos estratégicos para este quadriénio no Concelho: a criação de uma central de biomassa que permitirá valorizar os produtos florestais.

Fruto do trabalho desenvolvido no primeiro mandato, e em consonância com a melhoria da situação macroeconómica do País, Vítor Aleixo diz que este é o momento “para acelerar na senda de um desenvolvimento territorial mais coeso e socialmente mais justo”. Nesse sentido, as atenções viram-se agora para “as áreas novas da economia criativa, com o turismo à cabeça, a reabilitação do património histórico e natural nas cidades e vilas e nos campos do interior rural e florestal do Concelho”.

Considerando que “uma atividade económica pujante é indispensável para um futuro justo e coeso do território”, o edil garantiu que serão levadas a cabo medidas tendo em vista a simplificação administrativa, permitindo assim captar mais investimento para o Concelho uma vez que acredita que “a atividade económica necessita de uma administração pública mais amigável”. Também no que à área fiscal diz respeito, o Município voltará a discriminar positivamente todos aqueles que queiram fixar-se no interior, levando até ao limite as isenções possibilitadas pela lei.

Cultura, Desporto, Educação – áreas em que Loulé é um paradigma nacional e até além-fronteiras – continuarão também a estar no foco das preocupações do executivo municipal, bem como as boas práticas na área social, que serão agora “aprofundadas”.

Nesta visão estratégica para os quatro anos que se avizinham, o autarca fez ainda referência ao projeto Climadapt, em que Loulé é pioneiro e que tem sido uma das bandeiras do próprio autarca. “Estamos na fase de implementação das opções da nossa Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas e, portanto, muitas mudanças vão chegar ao nosso quotidiano, à vida das nossas cidades e à vida de todos nós”, salientou.

É com um novo projeto e uma nova equipa autárquica que Vítor Aleixo promete continuar a trabalhar em prol do interesse das pessoas e do Concelho de Loulé, com uma gestão que, assegura, seguirá “o estrito respeito pelos princípios da transparência, da prestação de contas, da participação cidadã e da consideração pelo papel indispensável das oposições políticas e partidárias”.

À semelhança do que aconteceu nos últimos quatro anos de gestão, Vítor Aleixo garantiu ainda que irá continuar ao lado das populações do Concelho sempre que estiverem em causa “a defesa dos direitos constitucionalmente consagrados”. “Quero reafirmar a minha disposição para a divergência, agora que o Governo da República é da minha família política, sempre que estiverem em causa os interesses de Loulé, do Algarve ou do bem público”, assegurou.

Para levar por diante os projetos assumidos, o autarca terá a seu lado, na equipa de vereação, Heloísa Madeira, Abílio de Sousa, Ana Machado, Pedro Pimpão, Carlos Carmo e Marilyn Zacarias, eleitos pelo Partido Socialista. Já do lado da coligação “Todos pelo Nosso Concelho” foram empossados José Graça e Horácio Piedade.

3 bancadas  na Assembleia Municipal

Adriano Pimpão, que volta a presidir à Assembleia Municipal para mais um mandato, reiterou o papel deste órgão deliberativo, nomeadamente a avaliação permanente da atividade da Câmara Municipal e das Empresas Municipais, “com o sentido também institucional de colaboração sempre leal, mas também sempre exigente”.

Para este responsável, o mandato autárquico que agora arranca deverá ser não só de evolução mas também de revolução “na resolução dos problemas da população e da transformação profunda e atualizada do modelo de gestão e do programa de desenvolvimento do Município”. Uma administração autárquica mais próxima dos munícipes, a descentralização das freguesias, a criação de mais e melhores condições de acolhimento de investimento, diversificando a economia e criando mais emprego qualificado, a alteração “do desenvolvimento ainda dualista do desenvolvimento do Concelho, tornando o Concelho de Loulé mais atuante nos contextos regional, nacional e internacional” deverão ser, segundo o líder da Assembleia, alguns dos pontos de atuação municipal para os próximos quatro anos.

Na Assembleia Municipal, irão integrar a Mesa, ao lado de Adriano Pimpão, Rosana Durão (PS) e Maria Vasques (Coligação Todos pelo Nosso Concelho). A bancada parlamentar do PS é constituída por Joaquim Vairinhos, Maria Helena Baptista, João Calçada Correia, Carlos Costa, Vítor Cristiano Ferreira, Fernando Santos, Maria Esteves Lourenço, Hugo Nunes, Abel Matinhos, Sónia Neves, Fernando Marques, Hermes Alberto, Joana Conceição, Fábio Nobre, André Correia e Dora Olival.

Da parte da Coligação Todos pelo Nosso Concelho, terão assento nesta Assembleia, Seruca Emídio, Mário Botelho da Silva, Bruno Inácio, António Farrojota, Sérgia Medeiros, Ricardo Lampreia e João Guerreiro da Conceição.

Carlos Martins volta a representar o Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal de Loulé.

Com assento ainda nesta Assembleia, foram empossados os representantes da Juntas de Freguesia: de Almancil, Joaquim Pinto (PS); de Alte, António Martins (PS); do Ameixial, José Fernando Carrusca (PS); de Boliqueime, Nélson Brazão (PS); de Quarteira, Telmo Pinto (PS); de Salir, Deodato João (Coligação Todos pelo Nosso Concelho); de S. Clemente, Carlos Filipe (PS); de S. Sebastião, Manuel Guerreiro (PS); e da União de Freguesias de Querença Tôr e Benafim, Margarida Correia (Coligação Todos pelo Nosso Concelho).

Categorias:Loulé