Desporto

Quarteira Night Runners promove Treino Solidário – Bebé Prematuro

O grupo de corridas e caminhadas Quarteira Night Runners (QNR) promove todas as quartas feiras treinos com caminhada e corrida. O último teve lugar na última quarta feira, 13 de novembro, desta vez com cariz solidário, a favor dos bebés prematuros.

Lurdes Rafael, do QNR, disse ao PlanetAlgarve que “eu e a Vanda Gil decidimos criar um projeto de apoio aos bebés prematuros e temos estado a elaborar polvinhos em crochet. Entretanto, a Servilusa passou a dar-nos apoio na divulgação do projeto e na cedência de linhas e cedeu-nos um espaço para podermos reunir com as pessoas e ensinar-lhes a fazerem esse trabalho. Este treino vai servir para arranjarmos verba para podermos comprar linhas e o enchimento porque são linhas próprias e enchimento próprio. São materiais que têm de ser estilizados várias vezes e então são materiais caros. Nós já estamos a contribuir com o nosso trabalho e então decidimos promover este treino como uma forma de a população pudesse também contribuir”, adiantando que “temos aqui pessoas que trouxeram linhas e outras dinheiro. Vamos tentar fazer o maior número possível de polvinhos até ao dia 18 de dezembro, que será o dia do nosso treino de Natal e, nessa altura, vou tentar ter aqui as pessoas responsáveis pela Unidade de Neonatologia do Hospital de Faro para receberem a nossa contribuição.

Agradecemos a vossa presença e o vosso donativo que totalizou 163€. Este valor já está a ser aplicado na compra do material necessário para a confeção dos polvinhos, que irão ajudar na recuperação dos bebés.

Muito obrigada e parabéns ao Emiliano que festejou mais um aniversário connosco.

A ideia de fazer polvos em crochet nasceu em 2013, na Dinamarca, a pedido de um pai que tinha uma filha prematura internada na neonatologia. O The Octo Project já distribui bonecos em todos os 16 serviços de neonatologia da Dinamarca e também no departamento de neonatologia da Gronelândia, e ajudou a chegar esta ideia a mais de 15 outros países em todo o mundo, entre os quais Portugal, Itália, França, Turquia, Croácia, Alemanha, Bélgica, Austrália e alguns estados norte-americanos.

O Projeto Migos foi criado em Portugal em abril de 2017 com base no Projeto Octo, que começou na Dinamarca em 2013, quando um grupo de voluntários passou a confecionar polvos de croché para doar aos bebés prematuros em unidades de tratamento intensivo neonatais.

Os polvos de crochet já abraçam centenas de bebés prematuros e pais e profissionais de saúde fazem um balanço positivo.

Os tentáculos oferecem uma alternativa ao tato e distraem os bebés dos inúmeros tubos e sondas, reduzindo a possibilidade dos bebés arrancarem as suas sondas e cateteres. Podem ainda ser colocados junto ao peito da mãe para ficarem com o cheiro e células maternas.

O polvo é para o bebé um elemento de conforto. Os bebés têm muita tendência, quando começam a ter alguma energia, em agarrar os tubos e os bebés agarram os tentáculos. Sentem-se aconchegados, seguros.

O tamanho destes polvos – feitos com linha 100% de algodão – não ultrapassa os oito centímetros, abaixo da medida de referência na Dinamarca, a pedido da Maternidade Alfredo da Costa. Os tentáculos esticados não podem ter mais de 22 centímetros, sob risco de os bebés se enrolarem neles.

Segundo os promotores do projeto na Dinamarca, a experiência tem mostrado que os bebés passam a respirar melhor, regulam os batimentos cardíacos e aumentam os níveis de oxigénio no sangue.

Em outubro de 2016, o Poole Hospital, no Reino Unido, dedicou mesmo um comunicado a estes “companheiros” dos prematuros, referindo que “estes polvos estão associados a melhorias de saúde e aumento do bem estar”.

Pensa-se que os tentáculos fazem o bebé lembrar-se do cordão umbilical e de como é estar no ventre da mãe, fazendo-o sentir-se mais seguro.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categories: Desporto, Quarteira, Saúde