Consumidor

Se está em teletrabalho saiba como reduzir a conta da energia

A pandemia global do coronavírus trouxe consigo uma crise económica e cada vez mais sentida pelas famílias portuguesas. Muitos dos trabalhadores perderam emprego, outros ficaram em layoff e freelancers não conseguem suportar os gastos fixos.

Esta situação gerou uma quebra no rendimento familiar apesar das despesas domésticas se manterem as mesmas, e  em alguns casos, devido ao teletrabalho, aumentaram.

Um dos gastos que mais aumentou foi a conta da eletricidade e por isso é cada vez mais importante a adopção de medidas de poupança no lar, numa altura em que existem famílias inteiras em casa, tanto pelo teletrabalho, desemprego ou pelo confinamento.

Poupar eletricidade em casa: dicas para o conseguir

Na verdade as dicas podem ser imensas, no entanto existem algumas que devem ser obrigatórias para não ter uma dor de cabeça quando chegue a fatura da energia.

Independentemente da razão que o leve a estar em casa, deve conhecer o consumo energético da família e tentar ajustar de modo a reduzir esse mesmo gasto.

  • Ventilar a sua casa nas primeiras horas do dia durante 10 minutos: não é necessário gastar mais de 10 minutos para ventilar adequadamente a nossa casa. Ao fazê-lo de manhã, evitamos interferir com o conforto térmico da casa. Além disso, a ventilação adequada pode criar correntes de ar naturais e permite que se evite ligar eletrodomésticos para equilibrar a temperatura (ar condicionado ou aquecedores).
  • Mantenha uma temperatura confortável em sua casa. Recomendamos mantê-la entre os 20 e 22 graus para manter a sua produtividade e poupar energia em casa.
  • Preste atenção às tarifas de energia que tem contratadas. As empresas de energia elétrica colocam à disposição diversos tipos de tarifas, como é o caso das tarifas bi-horárias, onde existem dois preços distintos no preço do kWh: geralmente à noite é bastante mais barato que de dia. Por isso, informe-se com a sua empresa de luz que tipo de tarifa tem. Aproveite e questione sobre a alteração da potência contratada (termo fixo). Muitas vezes a potência que os consumidores têm contratada é acima do que é necessário, e isso é um gasto desnecessário.
  • Um dos grandes segredos para evitar o gasto de eletricidade, é evitar o stand-by de alguns aparelhos elétricos. Trata-se de desligar os mesmos que estão ligados sem estarem a ser usados. Portanto, televisores, computadores e até a máquina do café,  devem ser retiradas da ficha elétrica. Além disso, o carregador do seu smartphone também consome quando está ligado à ficha elétrica, mesmo que não esteja com o telemóvel em carregamento. Este tipo de consumo é designado por “consumo fantasma”.
  • Use lâmpadas LED: O uso de lâmpadas LED ajuda a poupar até 80% em relação às lâmpadas normais. O seu custo inicial é mais elevado, mas a sua vida útil é até 12 vezes maior do que uma lâmpada incandescente.  A mudança para lâmpadas LED, muito mais eficientes em termos energéticos, significa uma economia anual de luz muito importante para qualquer carteira.
  • Pacotes de internet: É certo e sabido que ter internet em casa e dados móveis no telemóvel, já faz parte do nosso dia a dia. Contudo, se está em casa, provavelmente não usará os dados móveis já que é quase garantido que faz uso da Wireless, certo? As operadoras de telecomunicações já oferecem várias tarifas e pacotes que são facilmente ajustáveis às necessidades de cada consumidor, pelo que se for o caso, ligue com o número da Vodafone, Nos ou Nowo e baixe o seu pacote de dados móveis e poupe dinheiro.

Outras dicas…

  • Use sempre eletrodomésticos categorizados como eficientes.
  • Os programas a baixas temperaturas e Eco das máquinas de lavar são os que lhe permitem poupar mais energia.
  • Evite tantas idas ao frigorífico: abrir e fechar a porta constantemente, duplica o consumo de energia.

Categories: Consumidor, Empresas